BBB 23: Conselho de Enfermagem se pronuncia sobre fala polêmica de brother

Divulgação/TV Globo

O participante do Big Brother Brasil 23 Fred Nicácio protagonizou uma polêmica, após expor uma experiência passada com uma enfermeira. A fala do brother acabou repercutindo dentro e fora do programa, fazendo o participante Cezar Black chorar e o Coren-SP (Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo) emitir uma nota de repúdio.

Fred Nicácio contou aos seus colegas de confinamento ter sofrido racismo de uma enfermeira, que duvidou de sua capacidade de se tornar médico. “Eu era fisioterapeuta e vi um médico entubando [um paciente] e falei assim: ‘Eu queria fazer isso aí’. Uma enfermeira branca olhou para mim e disse: ‘Sai para lá, menino. Isso dai é só para médico’. Sete anos depois, eu voltei lá e ela foi minha enfermeira. É, tô aqui, doutor Fred Nicácio. Agora eu vou entubar e você vai me ajudar. É assim que a gente trata racista”, relatou.

Depois, em conversa com sua dupla Domitila, Cezar Black, que é enfermeiro, confessou ter se sentido ofendido pela fala do colega. Chorando, ele destacou a importância de sua profissão: “Isso é uma coisa que brigamos todos os dias. (…) A enfermagem vai estar do dia que você nasce, na hora da UTI, quando você tá internado, sofrendo… até quando você morreu. Quem prepara o seu corpo é a enfermagem. Nós somos a primeira passagem quando você vem ao mundo e a última. Então nossa classe é fod*, trabalha mais que todas as outras classes e não tem reconhecimento”.

A situação acabou virando objeto de discussão nas redes sociais, culminando com manifestação do Coren-SP. Na última quarta-feira, 18, o Conselho emitiu em seu Instagram uma nota de repúdio à fala de Fred Nicácio, destacando que “a enfermagem é uma profissão regulamentada e autônoma e não está subordinada a nenhuma outra, uma vez que todas as categorias da saúde têm atribuições devidamente estabelecidas”.

“A enfermagem não raro é vítima de comparações que a subalternizam, mesmo depois de toda sua atuação ser amplamente divulgada nos últimos anos, devido à sua essencial atuação frente à pandemia da Covid-19. Portanto, o Coren-SP condena qualquer fala ou atitude que vincule a enfermagem a uma inferioridade frente a demais profissões e defende o cuidado integrado e respeitoso das equipes multidisciplinares também como uma forma de valorização à categoria”, concluiu o Conselho.

Os brothers ainda chegaram a conversar sobre o ocorrido, mais tarde. Segundo o médico, não houve intenção de ofendê-lo ou ofender a classe. “Jamais colocaria ela em uma posição de menor importância. O universo que se encarregou disso. Ela nunca mais vai falar que uma pessoa preta não pode realizar o sonho dela”, justificou Nicácio.

Com informações de Estadão. Edição Ju Abe.

Deixe uma resposta