Concessionária do Mercado de São Brás não cumpre prazos e determinações do edital

O diretor-presidente da Codem (Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém), Lélio Costa, esteve reunido nesta terça-feira (8), com representantes dos trabalhadores e trabalhadoras do Mercado de São Brás, preocupados com a condição do prédio e o futuro que será dado para ele. Em 2020, o ex-prefeito Zenaldo Countinho promoveu a privatização do Mercado, sem debate com a sociedade e os permissionários do local, através de um edital que concedeu o espaço público a uma empresa privada pelo período de 30 anos. Sem transparência com o projeto e com o futuro do mercado e dos que trabalham no local, vários protestos ocorreram na época.

Durante a reunião, Lélio Costa informou que a Codem deu continuidade às negociações com os representantes da concessionária em janeiro, quando iniciou a nova gestão da prefeitura. “A Codem, como representante do poder concedente, seguiu fiscalizando e cobrando o cumprindo do edital assinado entre as partes. De janeiro até o final de maio reunimos com os representantes da concessionária e mesmo depois de várias reuniões não houve avanços significativos por parte dos representantes do Grupo Roma em apresentar um plano de execução para o cumprimento dos itens obrigatórios previstos no edital”.

Ainda segundo o diretor-presidente, “não existe um plano operacional com detalhamento da infraestrutura, horários de funcionamento, manutenção, custos de operação e quantitativo de pessoal, bem como, dos termos referentes à garantia de operação do mercado durante a reforma, mantemos os canais de diálogos abertos para que a concessionária cumpra o que está no edital”. Agora o caso está em análise pela Procuradoria Geral do município de Belém.

Deixe uma resposta