Lulaço e campanha por título eleitoral tomaram conta do Carnaval 2022

Foto: Rivaldo Gomes/ Folhapress

Mídia Ninja- No Bloco do Fuá, nas ruas do Bixiga, em São Paulo, o Lulaço era o grito que comandava os foliões. “Eu quero ele fora pra entrar o Lula Lá”. A menos de seis meses das eleições, essa foi cantoria que se espalhou durante o carnaval fora de época em 2022, seja nas arquibancadas dos sambódromos, nos cortejos de rua ou nos shows carnavalescos.

Logo no início da primeira noite de desfiles do Grupo Especial no Carnaval 2022 do Rio de Janeiro, os gritos a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já se espalhavam nas redes por meio dos registros feitos pelos brincantes. Ao tocar o hino nacional, nos anúncio das escolas de samba, os gritos deram vez a protestos contra Bolsonaro. Conforme publicado no Globo, nem o filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro, escapou das vaias quando se fez presente no camarote da Sapucaí.

Em Recife, o Fervo de Carnaval contou com plateia engajada em vários momentos do shows. No palco também teve manifesto. Em um tom propositivo, Johnny Hooker fez questão de puxar o Lulaço pedindo ao público para desligar Bolsonaro de seus gritos. Entre os participantes, um grupo de jovens se mobilizava na campanha pelo título eleitoral entre os adolescentes que ainda não se alistaram para garantir o primeiro voto.

A campanha não ficou só em Recife. Em diversos blocos foram registradas ações, gritos e intervenções direcionadas aos jovens pelo primeiro voto em 2022.

“Combinamos com os blocos, que desfilariam neste final de semana, de pedir para o seu público optar pela latinha em vez do vidro, regularizar o título de eleitor, além de combater o assédio reforçando que os corpos têm direito de existir, roupas são só roupas”, afirmou Lira Alli, uma das integrantes do Coletivo Arrastão, à Folha de São Paulo. O grupo foi criado com resistência ao golpe de 2016.

Nas ruas do entorno da Imaculada Conceição na Santa Cecília, o Charanga do França também embarcou na campanha. E nas redes não fez diferente. “Quer mais Carnaval em outubro? Regularize seu título de eleitor e convença um jovem a tirar o título”, escreveram em uma postagem no Instagram.

No Rio de Janeiro, algumas imagens dos gritos por Lula nas ruas se difundiram nas telinhas para quem curtiu o carnaval em casa. Até intervenção em TV ao vivo não deixou de ser registrada, com a aparição surpresa da toalha do Lula na praça Mauá para o programa “É de Casa” da TV Globo, surpreendendo repórter e apresentadores.

Deixe uma resposta