Prefeitura do diálogo: Belém mantém mesa de negociações com servidores municipais grevistas

Na manhã desta quinta-feira, 19, uma comissão de servidores grevistas foi recebida na Secretaria Municipal de Educação (Semec) pela diretora geral em exercício da Semec, professora Guiomar Cruz, para esclarecimento de pautas com reivindicações da categoria. Há cerca de 30 dias, em torno de 60 dos 6.900 trabalhadores da Semec iniciaram a paralisação.

Os representantes dos grevistas voltaram a solicitar uma posição da Semec sobre o abono ou a possibilidade de reposição das faltas relativas aos dias parados. A diretora-geral explicou que a secretaria não poderá negociar esta pauta, enquanto os trabalhadores estiverem em greve e avisou que a folha de pagamento do mês já fechou.

Na reunião com os grevistas na última sexta-feira, 13, secretária municipal de educação, Márcia Bittencourt, já havia informado que qualquer negociação deste tipo está condicionada ao encerramento do movimento grevista.

A comissão solicitou informações sobre o quadro de pessoal da Semec e foi informada que os dados serão encaminhados formalmente ao Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras em Educação Pública do Pará (Sintepp).

Participaram da reunião pela Semec, além da professora Guiomar, o diretor administrativo, professor Laurimar de Matos; a diretora de educação, professora Jaqueline Rodrigues; a chefe de gabinete, professora Marlene Feitosa; o assessor especial Diogo Souza; o assessor jurídico Júlio Machado; e o coordenador do Centro de Formação de Educadores Paulo Freire, professor Walter Braga.

Compuseram a comissão que representou os grevistas os servidores Izabel Mendes, Rosalinynn de Oliveira, José Silva e Elias Chaves.

Valorização – A Prefeitura de Belém segue investindo na valorização do funcionalismo. Em dezembro passado garantiu o abono de R$ 9,8 mil para todos os trabalhadores da educação, utilizando recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para o Grupo Magistério e recursos do Tesouro Municipal para premiar os demais servidores. Foi a primeira vez que todos os trabalhadores da educação de Belém receberam este abono, antes pago somente aos docentes.

Também pela primeira vez todos os trabalhadores da educação ganharam bônus livro de R$ 200,00, concedidos em novembro de 2021.

Imunização – E segue sendo assegurada a vacinação prioritária de todos os trabalhadores da educação contra a covid-19.

Este ano, o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, já garantiu o reajuste de 33,24% no vencimento-base de todos os servidores do Grupo Magistério da Semec e da Fundação Escola Bosque (Funbosque). A remuneração dos professores da rede municipal agora é, em média, de R$ 8,7 mil.

Na segunda-feira, 16, a Prefeitura de Belém reafirmou o compromisso de adiantar de agosto para junho próximo o reajuste de 4,82% referente a perdas inflacionárias de 2021 para os servidores municipais e de outubro para agosto próximo os 4,52% do déficit salarial da inflação de 2022. A proposta da Prefeitura zera as perdas inflacionárias de 2020 e 2021, com o reajuste total chegando a 15,03%.

E desde janeiro o vale-alimentação recebeu um reajuste de R$ 100,00, passando de R$ 270,00 para R$ 370,00, incluindo a extensão do pagamento do benefício a mais 3.371 servidores excluídos do benefício pelas gestões passadas – o equivalente a 27,4% do total do funcionalismo municipal.

Por Agência Belém (texto: Lilian Leitão)

Deixe uma resposta