Bolsonarista que convocou bloqueios golpistas no Pará continua foragida: “E que me prendam”

Claudia Kummer, apontada pela PF como uma das responsáveis pelos bloqueios na BR-163 em Novo Progresso (PA), em novembro, continua foragida da polícia.

Na noite de 2 de novembro, ela gravou um vídeo incitando a população a ocupar a rodovia. O local foi palco, cinco dias depois, de um confronto entre manifestantes e equipes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), em que as viaturas deixaram o local sob tiros e lançamento de objetos. Um agente ficou ferido e uma criança precisou ser socorrida na tentativa de liberar a via.

No mesmo dia do conflito, a PF pediu a prisão de dez pessoas, mas quatro não foram encontradas até o momento. O grupo é suspeito de oito crimes, como tentativa de homicídio e constrangimento ilegal a comerciantes para que aderissem ao protesto.

“Indo aqui ó, para a beira da BR [163], aqui em frente ao posto Rota. Tacar fogo em pneus. Convoco toda a população. E que me prendam se acharem que isso é vantagem”, diz a extremista de direita, em vídeo publicado pelo Portal Uol.

Ela também declara abertamente que não aceita o resultado das eleições, e diz que é “imposição” do STF (Supremo Tribunal Federal. Ela afirma que o ato é em defesa de Bolsonaro e da liberdade de expressão. “Convoco a população de Novo Progresso, eu não aceito o resultado das eleições. Eu não aceito a imposição do STF. Bora defender o Bolsonaro, a nossa liberdade de expressão. Venham comigo.”

Com informações do Uol

Deixe uma resposta