Presente de grego pra cidade

Dessa dívida que a gestão passada deixou para a atual, na prefeitura de Belém, a despesa que mais chama atenção é a de R$31 milhões, feita pela SESAN sem sequer empenhar as ditas dívidas.

Significa que contratos podem ter sido assinados às pressas, sem a previsão de recursos para bancá-los, apenas baseados no princípio da impessoalidade, mas desprezando itens da legislação vigente.

Na prática, a dívida existe e deve ser comprovada através de notas fiscais, recibos e coisas do gênero, mas não há qualquer sinalização a respeito da forma e prazo de pagamentos, já que não há empenho.

A titular da Secretaria de Finanças já antecipou que vai negociar prazos para efetuar esses pagamentos; uma administradora mais marrenta questionaria até a necessidade dessas dívidas contraídas no ocaso de uma gestão, por sinal, marcada pela inoperância administrativa.

Publicado originalmente no Na Ilharga

Rombo
O déficit financeiro de R$ 51 milhões (exatos R$ 51.661.560,56) foi deixado pela administração do ex-prefeito Zenaldo Coutinho para a nova gestão de Edmilson Rodrigues. As cifras fazem referência ao caixa da Prefeitura de Belém na data de 31 de dezembro de 2020. Essa dívida ainda pode ser maior à medida que os órgãos municipais forem concluindo os levantamentos de débitos e saldos.

Uma resposta para “Presente de grego pra cidade”

  1. É muita cara de pau desse zenaldo dizer que deixou as contas em dia. Precisa prestar contas com a justiça.

Deixe uma resposta