Base parlamentar: Edmilson conta com ampla maioria de vereadores na Câmara de Belém

Ao menos 31 vereadores, dos 35 eleitos para a Câmara Municipal de Belém (CMB) na última eleição, poderão compor a base de apoio do prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL), em alguns casos, mesmo que eventualmente. Apenas quatro formalizaram a condição de oposição à gestão, durante sessão realizada na quarta-feira (14).

A composição reúne um espectro amplo de partidos. O MDB, que possui quatro cadeiras, maior bancada e que ocupa a presidência da Casa, também faz parte da base parlamentar. O partido do prefeito (PSOL), com três cadeiras, é dono da segunda maior bancada, mesmo número do Republicanos.

Em sessão solene para marcar o início dos trabalhos legislativos de 2021, o prefeito Edmilson Rodrigues destacou seu interesse em trabalhar junto com o Legislativo e manter um bom relacionamento com os parlamentares:

“Vamos avançar nesse processo de descentralização; vamos pagar as dívidas da administração passada e não vamos ficar chorando pelo que não foi feito. Nenhuma obra e nenhum serviço deixarão de ser feitos. Vereadores, suas emendas serão respeitadas, já fui prefeito e tive uma boa relação com a Câmara, isso é fundamental. Nós vamos caminhar juntos e tudo que tiver de ser feito será feito. Eu tenho que cumprir meu papel em favor da saúde da população”, garantiu.

A relação amistosa entre Prefeitura e a Câmara tem sido o tom desde o início da nova legislatura, e já garantiu a aprovação de projetos do executivo por ampla maioria, como o Bora Belém, programa de renda mínima, aprovado por unanimidade.

OPOSIÇÃO ESVAZIADA

A oposição é composta apenas pelos vereadores Mauro Freitas (PSDB), Fabrício Gama (DEM), Higino (Patriota) e Mateus Cavalcante (Cidadania). Mauro Freitas e Fabrício Gama, conhecidos pela fidelidade ao ex-prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB), participaram ativamente da campanha do candidato derrotado Eguchi, e também foram os principais articuladores da votação do aumento salarial dos vereadores para o período de 2021 a 2024, em meio à crise econômica e sanitária do novo coronavírus. O projeto foi vetado, à época.

Composição da Câmara Municipal de Belém:

Zeca Pirão (MDB) foi eleito com 10.851 votos

Albuquerque (MDB) foi eleito com 10.272 votos

Juá Belém (Republicanos) foi eleito com 10.221 votos

Túlio Neves (PROS) foi eleito com 10.119 votos

João Coelho (PTB) foi eleito com 9.493 votos

John Wayne (MDB) foi eleito com 9.054 votos

Pablo Farah (PL) foi eleito com 8.602 votos

Bieco (PL) foi eleito com 8.111 votos

Augusto Santos (Republicanos) foi eleito com 7.521 votos

Goleiro Vinicius (Republicanos) foi eleito com 7.079 votos

Moa Moraes (PSDB) foi eleito com 6.942 votos

Mauro Freitas (PSDB) foi eleito com 6.392 votos

Blenda Quaresma (MDB) foi eleita com 6.210 votos

Zeca do Barreiro (Avante) foi eleito com 5.778 votos

Lívia Duarte (PSOL) foi eleita com 5.599 votos

Igor Andrade (Solidariedade) foi eleito com 5.558 votos

Fabricio Gama (DEM) foi eleito com 5.224 votos

Bia Caminha (PT) foi eleita com 4.874 votos

Renan Normando (PODE) foi eleito com 4.844 votos

Lulu das Comunidades (PTC) foi eleito com 4.657 votos

Dinelly (PSC) foi eleito com 4.618 votos

Fabio Souza (PSB) foi eleito com 4.557 votos

Gleisson Oliveira (PSB) foi eleito com 4.417 votos

Fernando Carneiro
(PSOL) foi eleito com 4.304 votos

Enfermeira Nazaré (PSOL) foi eleita com 4.023 votos

Roni Gas (PROS) foi eleito com 3.833 votos

Matheus Cavalcante (Cidadania) foi eleito com 3.647 votos

Emerson Sampaio
(PP) foi eleito com 3.536 votos

Dona Neves (PSD) foi eleita com 3.238 votos

Amaury da APPD (PT) foi eleito com 3.177 votos

Altair Brandão (PC do B) foi eleito com 3.088 votos

Pastora Salete (Patriota) foi eleita com 2.976 votos

Allan Pombo (PDT) foi eleito com 2.860 votos

Miguel Rodrigues (PODE) foi eleito com 2.598 votos

Josias Higino (Patriota) foi eleito com 2.364 votos

Redação:
pontodepautapara@gmail.com

Deixe uma resposta