Prefeitura de Belém negocia recursos para macrodrenagem da bacia do Mata Fome

O secretário municipal de Planejamento e Gestão, Cláudio Puty; Romenson Rodrigues, diretor de Financiamento, e o assessor Patrick Sandre, receberam a técnica Patrícia Freitas, consultora do Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata – FONPLATA.

A Secretaria de Planejamento e Gestão da Prefeitura de Belém esteve reunida no dia 15 de outubro, com a consultora do Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata – FONPLATA, a fim de negociar um empréstimo para realização das obras de macrodrenagem da bacia hidrográfica do Mata Fome.

Em 30 de junho deste ano, a Câmara Municipal de Belém autorizou a Prefeitura a contratar empréstimos que somam R$ 500 milhões para obras de saneamento básico e infraestrutura. Para esta obra na bacia do Mata Fome, a gestão municipal negocia com o FONPLATA o empréstimo de até U$$ 60 milhões de dólares, projeto que vai beneficiar quase 140 mil pessoas nos bairros da Pratinha, São Clemente, Parque Verde e Tapanã.

A Prefeitura de Belém, desde o começo do ano, retomou as obras da Bacia da Estrada Nova, e participa das obras na Bacia do Tucunduba, que são de responsabilidade do Governo do Estado. Além disso, a proposta orçamentária do ano de 2022, prevê cerca de R$ 269 milhões para obras de macrodrenagem das bacias Ariri-Bolonha, Mata-Fome e Paracuri, além de limpeza urbana, coleta e transporte do lixo domiciliar. Os programas de macrodrenagem da Bacia da Estrada Nova (Promaben I) e da bacia do Una vão receber juntos R$ 27,8 milhões. Enquanto o Promaben II, com obras nos bairros do Jurunas, Cidade Velha, Cremação e Condor, tem alocado a previsão de cerca R$ 183,4 milhões. Esses recursos virão do Tesouro Municipal como contrapartida somado às operações de crédito captadas pela PMB.

Deixe uma resposta