Psol não autoriza pré-candidaturas autodeclaradas, diz presidente da legenda no Pará

A direção do PSOL do Pará, cuja maioria dos integrantes, defendem marchar com o PT em apoio à candidatura de Lula já no primeiro turno das eleições presidenciais, dará início a sua agenda local de debates programáticos. O primeiro encontro está marcado para essa sexta-feira (18), começando pela capital.

A elaboração do programa, tratada como tarefa prioritária, terá ênfase nas questões relacionadas à Amazônia, e deverá ganhar força com a chegada da Rede para formação da federação partidária Psol-Rede.

As duas legendas também se concentram na formação de chapas para a disputa do legislativo estadual e federal, mantendo fora do radar, pelo menos por hora, Indicações aos cargos majoritários, que ainda serão avaliadas nas instâncias partidárias.

“O Psol é um partido plural, mas a sua democracia não autoriza pré-candidaturas autodeclaradas se posicionarem como se fossem oficiais. Cabe às suas instâncias democraticamente eleitas, no momento certo, deliberar o caminho que melhor nos conduza às vitórias políticas e eleitorais.
A conjuntura pede convergências e um programa de mudanças que resgate a esperança no futuro, construído democraticamente, focado na superação do retrocesso e do modelo econômico excludente e predatório. É este processo que dirá como e com quem derrotaremos o bolsonarismo em 2022”, afirmou Adolfo Neto, presidente do Psol Pará, pelas redes sociais, nesta quinta-feira (17).

Agenda:
Direito ao Futuro – Diálogos do Psol
Data: Sexta-feira, 18 de março.
Horário: 18:00 às 21:00.
Local: Salão Camarote, Hotel Princesa Louçã, Av. Presidente Vargas, 882. Em frente a Praça da República.

Deixe uma resposta