Bolsonaro vai “mamar” aposentadoria de mais de 40 mil pagos com verba pública

Jair Bolsonaro em solenidade de Promoção de Oficiais-Generais do Exército. Créditos: Clauber Cleber Caetano/PR

Defensor da política neoliberal, que privilegia grandes grupos privados, e de uma reforma para acabar com a “mamata” dos servidores públicos, Jair Bolsonaro (PL) ganhou de Arthur Lira (PL-AL) uma aposentadoria da Câmara Federal, que vai garantir ao futuro ex-presidente renda de mais de R$ 40 mil mensais – acima do teto para os funcionários da União, que é de R$ 39.293,32.

No ato, datado de 30 de novembro, mas publicado nesta sexta-feira (2) no Diário Oficial da União (DOU), Lira concede “aposentadoria ao ex-Deputado Federal Jair Messias Bolsonaro, a partir de 30 de novembro de 2022, com proventos correspondentes a 32,50% (trinta e dois vírgula cinquenta por cento) do subsídio parlamentar, acrescidos de 20/35 (vinte trinta e cinco avos) da remuneração fixada para os membros do Congresso Nacional”.

Segundo cálculos de assessores parlamentares, o valor a ser recebido por Bolsonaro – retroativo ao mês passado – será de cerca de R$ 30,2 mil reais mensais.

A renda extra será somada aos R$ 11.945,49, resultando em um rendimento de mais de R$ 32 mil mensais. Bolsonaro ainda deve receber mais de R$ 10 mil para ter um cargo no PL. O valor também será pago com recursos públicos, do fundo partidário.

Além disso, como ex-presidente não reeleito, Bolsonaro terá direito a uma série de benefícios, como seguranças da Polícia Federal e carros oficiais. Tudo pago pela União.

“UM HOMEM SIMPLES… Arthur Lira concede aposentadoria a Bolsonaro, e valor deve superar R$ 30 mil. Já recebia 12 mil de aposentadoria do exército. Fora o salário que vai receber do Partido de Valdemar Costa Neto. Haja dinheiro vivo”, ironizou Guilherme Boulos (PSOL-SP) nas redes.

Por Plínio Teodoro, via Revista Fórum

Deixe uma resposta