Prefeitura dará continuidade à reforma e restauração do Palácio Antônio Lemos

A Prefeitura de Belém dará continuidade à reforma e restauração do Palácio Antônio Lemos, prédio tombado pelo patrimônio histórico e que é a sede oficial da administração municipal.

Uma comissão técnica foi criada – que reunirá profissionais da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), além de arquitetos, engenheiros e museólogos da prefeitura -, para avaliar o projeto de reforma e restauração do palácio, a fim de que possa ser devolvido à população totalmente restaurado.

“Não há nada mais importante do ponto de vista simbólico, da arquitetura de Belém, do que o Palácio Antônio Lemos. Daí a importância de fazer uma reforma e o restauro em termos globais. Não dá para fazer coisas mais pontuais, como foi feito anteriormente”, destacou o prefeito Edmilson Rodrigues.

Para definir como será a reforma e restauração do espaço, na tarde desta quarta-feira, 3, o prefeito se reuniu com parte da equipe técnica, que vai atuar no projeto: “Nós vamos fazer os estudos diagnósticos da situação estrutural, os estudos acerca do que é a parte de restauro. A tarefa agora é preparar as referências para contratar esses estudos e com base nesse diagnóstico, que tem que ser feito por escritórios técnicos especializados, seja na engenharia, seja na arquitetura e de restauro, fazermos o orçamento global para licitar e iniciar a execução da obra”, explicou Edmilson Rodrigues.

A execução da obra está sob o comando da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb). “A ideia hoje aqui foi organizar essa comissão de forma que os técnicos, engenheiros, arquitetos de alto conhecimento, nos mostrassem as soluções para que a gente comece a tratar da grande reforma”, esclareceu o secretário de Urbanismo, Deivison Costa Alves.

O presidente da Fumbel, Michel Pinho, também particpou da reunião e destacou o valor histórico do Palácio Antônio Lemos, que deve ser levado em consideração durante a reforma e restauração do espaço: “Quando for fazer a obra como um todo, deve levar em consideração três aspectos importantes: a engenharia, o restauro e a museologia do processo. Sem esses três processos andarem juntos a gente vai ter um restauro incompleto”, explicou Pinho.

Ele ressalta, que por isso, a criação da comissão é fundamental para o processo. “O que a prefeitura está fazendo agora é fazer com que a cidade reencontre a sua história”, definiu o presidente da Fumbel.

Histórico

O Palácio Antônio Lemos foi projetado por José Coelho da Gama e Abreu para ser sede do poder municipal. Construído no século XIX, o prédio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como parte do patrimônio cultural nacional.

Desde que foi inaugurado, em 1883, o Palácio Antônio Lemos já abrigou o Tribunal de Relação, a Junta Comercial, o Conselho Municipal e a Câmara de Deputados. Até recentemente abrigava também o Gabinete do Prefeito Municipal de Belém, a Coordenadoria de Comunicação Social e o Museu de Arte de Belém. Atualmente, o prédio está fechado ao público por estar passando por reformas, após um processo de deterioração de sua estrutura.

Por Juliana Brito – Agência Belém
Foto: Macio Ferreira – Comus

Deixe uma resposta