Em Belém, ato esvaziado “comemora” golpe militar de 64

Em Belém, cerca de 20 manifestantes estiveram reunidos em frente ao quartel da 8ª Região Militar, nesta quarta-feira (31), aniversário de 57 anos do golpe militar do Brasil, período da história do país, marcado por perseguições, censura, torturas e assassinatos de opositores e críticos do regime.

Os manifestantes pediam “intervenção militar com Bolsonaro na presidência”. Um homem, visivelmente exaltado, chegou a entrar no quartel e foi contido pela guarnição. A Polícia Militar esteve no local e dispersou os manifestantes. Outros atos pelo país também foram esvaziados.

Nos últimos dias, mensagens de grupos bolsonaristas convocando atos em todo o País circularam nas redes sociais, mas, até o início da tarde desta quarta, não houve registro de grandes manifestações. Críticas à ditadura e ao aniversário do golpe marcam a data. No twitter, até às 13h, cerca de 170 mil tweets com a hashtag #DitaduraNuncaMais foram publicados, segundo números da própria plataforma.

BRUNO CRUZ/PHOTOPRESS / Estadão Conteúdo

Redação:
pontodepautapara@gmail.com

Deixe uma resposta