Permissionários do Mercado de São Brás se reúnem com o prefeito para debater a revitalização do local

Prefeitura de Belém projeta a modernização do Complexo de São Brás. Foto: Marcos Barbosa – Comus

Dar uma nova funcionalidade ao Mercado de São Brás, integrando modernização e turismo ao prédio histórico, que abriga artesãos e comerciantes, é o que pretende a Prefeitura de Belém para o complexo. O anúncio foi feito pelo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, na tarde desta quinta-feira, 5, em reunião com representantes dos permissionários que atuam no mercado.

O encontro é o início de uma série de debates, que visam buscar, em comum acordo, melhorias e funcionalidade para o espaço. Durante a reunião, o gestor municipal destacou a importância de receber a comissão dos permissionários para uma troca de ideias sobre o Mercado e ressaltou a história do espaço para a cidade. “É uma referência da arquitetura e economia da cidade. Foi construído por um arquiteto de Gênova, Itália. Ele tem um valor enorme e pode ser mordenizado com uma reforma urbanística de todo o complexo”.

A proposta para o local é transformar o espaço em um ponto atrativo para os próprios permissionários e visitantes, contendo lojas, qualificação para os trabalhadores que atuam no local, atrações culturais, nos moldes dos mercados de São Paulo e Porto Alegre. “Em termos culturais, o mercado é uma tradição que pode ganhar novos usos, como espaços de cultura e manifestações artísticas”, ressalta o prefeito.

Atualmente, o Mercado de São Brás conta com 334 permissionários, que atuam em diversos setores e encontra-se deteriorado e sem condições de trabalho para os feirantes. “As condições são as piores possíveis, mas amamos aquele local e ele merece ser mais valorizado. Queremos que transformem em um mercado modelo de Belém”, afirma Carlos Raposo, 52 anos, que atua há 20 anos no mercado.

Em agosto de 2020, a então gestão municipal repassou a concessão do Complexo de São Braz para reforma e modernização à Roma Incorporadora. Desde início deste ano de 2021, a Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), conversa com representantes do grupo sobre o cumprimento de itens obrigatórios do edital de licitação, mas os diálogos não avançaram e o processo agora está sendo analisado pelo setor jurídico da companhia.

Victor Miranda – Agência Belém

Deixe uma resposta