Servidor é preso por venda de cartão de vacinação; quem compra também comete crime

Foto: Divulgação PM/PA

O servidor do Samu, lotado no Pronto Socorro Municipal Mário Pinotti, o PSM da 14, Luiz Fernando Ferreira de Castro, foi preso em flagrante na noite desta segunda-feira (20), próximo ao conjunto Satélite, por vender cartões falsificados de vacinação contra a covid-19 em Belém. A Polícia Militar ainda encontrou com ele 29 carimbos de médicos que atuam em diferentes especialidades, cápsulas de medicamentos, um bloco de receituário em branco, um bloco de declaração de comparecimento, agulhas, seringas e outros materiais relacionados à área da saúde.

A prisão ocorreu depois de uma denúncia anônima para a Divisão de Investigação e Operações Especiais (Dioe); o ex-servidor vai responder pelos crimes de falsificação de documento público, peculato e estelionato. Inicialmente, ele vendia o comprovante para as pessoas que já tinham se vacinado, mas que não conseguiam comprovar por conta da falha no aplicativo Conecte SUS. Depois, decidiu ampliar seus crimes.

Segundo o delegado Yuri Vilanova, responsável pelo caso, não só quem falsifica comete o crime, mas também quem compra este tipo de documentação. “Incide em crime quem está falsificando e quem utiliza também o material. Então é bom enfatizar que a gente vai verificar quem foram as pessoas que obtiveram certificado e que estão utilizando. Se utilizaram, cometeram o crime de uso documento falso, cuja pena pode chegar a seis anos de reclusão”.

Com informações de O Liberal/Amazônia e Agência Pará

Deixe uma resposta