Batatinha Frita 1, 2, 3: veja quem está na disputa pelo governo do Pará

No Pará, embora nenhum nome tenha sido lançado oficialmente à disputa pela cadeira do governo do Estado, nos bastidores, as articulações seguem em ritmo frenético, e já teriam, ao menos, quatro nomes escalados para jogo: Helder, Jatene, Zequinha, e Araceli.

Óbvio, Helder Barbalho é candidatíssimo à reeleição, e nem é preciso dizer. O atual governador opera a formação de uma coalizão, de amplo espectro, que reúne desde o União Brasil, fusão do PSL e DEM, passando pelo PSDB, até partidos como PT, PCdoB, PDT, e PSB, já abrigados na sua base de apoio.

No caso do ex-governador, Simão Jatene, a menos que consiga reverter a decisão do Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que confirmou sua inelegibilidade pelo período de oito anos, ele segue com chance reduzida. O que não quer dizer que deixará de participar da campanha, como articulador e apoiador:

“O que eu tenho dito claramente é o seguinte, todo mundo sabe que esses caras estão fazendo o possível e impossível para eu não ser candidato. Não sei, eles podem vencer a primeira batalha. Eu estou recorrendo, mas eu seria mentiroso se dissesse que tenho segurança do resultado”, admitiu Jatene, em recentes declarações.

O ex-governador também já fala num plano B: “estou conversando com todas as forças politicas que são contrárias a isso aí”, numa referência às lideranças do campo bolsonarista no Pará, classificada por ele como “forças do bem para vencer o mal”.

O palanque bolsonarista, ao que tudo indica, terá como postulante ao cargo de governador o senador Zequinha Marinho, recém-filiado ao PL. Marinho foi aliado de Helder na campanha passada, quando ainda era vice-governador do estado, na chapa do ex-governador Jatene, com quem rompeu a aliança para apoiar o MDB nas eleições de 2018.

Outro nome é o da historiadora e ex-deputada Araceli Lemos, cogitada para eventual disputa. Mas a direção da legenda não confirma e diz que ainda amadurece o assunto. E só vai decidir sobre candidaturas em sua Conferência Eleitoral Extraordinária.

Alguns partidos menos expressivos também já manifestaram a disposição de lançar candidatos majoritários ao governo, mas ainda não definiram nomes. O PSTU, por exemplo, poderá lançar mais uma vez, Cleber Rabelo como candidato a governador do Pará.

Mesmo que até agora, nenhuma pesquisa para aferir a preferência do eleitor tenha sido divulgada, é bom saber que não tem faltado pesquisas internas, e elas estão na mesa tirando o sono de muita gente.

Deixe uma resposta