Imagem de jovem indígena que carrega pai nas costas por seis horas pra se vacinar viraliza

Foto: Erik Jennings/Instagram/Reprodução

O jovem indígena Tamy Zoé foi flagrado pelo médico Erik Jennings carregando o pai, Wahu Zoé, por quilômetros dentro da mata fechada até o posto de saúde. O objetivo, de acordo com o médico, era aplicar no pai uma dose da vacina contra o coronavírus. A informação é de Julinho Bittencourt, Revista Fórum.

De acordo com Jennings, em postagem na sua conta do Instagram compartilhada pela Articulação dos Povos Indígenas, este foi para ele “o momento mais marcante de 2021. Tawy Zoé trazendo o pai Wahu Zoé para a primeira vacina contra a covid-19. Tawy carregou o pai, por 6 horas dentro de uma floresta com morros, igarapés e obstáculos até a nossa base. Feito a vacina, colocou o pai nas costas novamente e andou por mais 6 horas até sua aldeia. Chega o ano de 2022, e não se registrou nenhum caso de COVID-19 na população Zoé.

Etnia Zoé
Depois, os dois regressaram de caminhada até a aldeia. Localizada no Norte do estado do Pará, os indígenas da etnia Zoé vivem em uma região entre dois rios: Cuminapandema e Erepecuru.

A cena foi compartilhada pela Articulação dos Povos Indígenas. Na publicação em seu perfil do instagram, Erik escreveu ainda sobre os impactos da pandemia na tribo que, até o momento, vive sem casos da doença.

Vacinação indígena no Brasil
O Ministério da Saúde informa que, até setembro do último ano, 80% da população indígena brasileira, acima de 18 anos, já havia recebido as duas doses do imunizante contra a COVID-19. Até a data, cerca de 87% do público-alvo já havia tomado ao menos uma dose.

Em outubro, 180 mil doses de reforço foram destinadas para o Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSus). As primeiras doses chegaram nas áreas indígenas em 19 de janeiro de 1021.

Deixe uma resposta