Estúdios Flow demite apresentador após defesa de partido nazista

Após defender a existência de um partido nazista, Bruno Aiub, apresentador e youtuber conhecido como Monark, foi desligado do Flow Podcast. ‘Nazista tinha que ter o partido nazista, reconhecido pela lei’, afirmou o youtuber na segunda (7). O anúncio foi feito nesta terça (8) pelas redes do programa.

“O Flow Podcast surgiu de um sentimento de liberdade, pluralidade e transparência. Com isso, carregamos a responsabilidade de nos conectar com milhões de pessoas e é inevitável que grandes decisões exijam grandes responsabilidades”.

“Reforçamos o nosso comprometimento com a Democracia e Direitos Humanos, portanto, o episódio 545 foi tirado do ar. Comunicamos também a decisão que, a partir deste momento, o youtuber Bruno Aiub @Monark está desligado dos Estúdios Flow”, diz a nota.

A assessoria de comunicação do podcast disse que Monark vai deixar de ser sócio das empresas e “não terá mais nenhum vínculo com os Estúdios Flow”.

Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista, reconhecido pela lei”

Durante a edição desta segunda (7), na qual participavam os deputados Kim Kataguiri (Podemos) e Tabata Amaral (PSB), o tema liberdade de expressão era discutido quando Monark falou sobre nazismo.

“A esquerda radical tem muito mais espaço do que a direita radical, na minha opinião. As duas tinham que ter espaço. Eu sou mais louco que todos vocês. Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista, reconhecido pela lei”.

Tabata rebateu o comentário e falou que a “liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca em risco a vida do outro”. “O nazismo é contra a população judaica e isso coloca uma população inteira em risco”, afirmou a parlamentar.

Convidados pedem exclusão de vídeos

Lucas Silveira, da banda Fresno, Tico Santta Cruz, do Detonautas, Sidoka , Iberê Thenório, do Manual do Mundo, estão entre os entrevistados do Flow Podcast que se manifestaram após a polêmica. Os convidados pedem que os vídeos que participam sejam excluídos do canal no YouTube.

Com informação do G1

Deixe uma resposta