Psol no Pará aprova participação no governo Lula

Em reunião realizada neste sábado (5), a direção do Psol no Pará, partido do prefeito Edmilson Rodrigues, aprovou a participação de seus membros no governo Lula, que toma posse no dia 1° de janeiro. Essa decisão ainda deve ser votada pela direção nacional da legenda.

Confira a resolução:

Resolução do Diretório Estadual do PSOL-PA

O Significado Histórico do Governo Lula e a participação do PSOL.

I. Nos últimos seis anos tivemos um conjunto de derrotas impostas aos movimentos populares, sendo que o golpe de 2016 resultou da imposição dos interesses de parcela da burguesia brasileira e internacional e o controle de setores produtivos e do próprio orçamento público, como a EC 95/16, a serviço dos interesses do grande capital.

II. A continuidade do golpe de 2016 encetou o crescimento da direita neofascista e a eleição de Bolsonaro. Os últimos quatro anos foram de destruição dos direitos dos trabalhadores e desmonte das políticas públicas.

III. A eleição de Lula representou uma gigantesca vitória dos lutadores e lutadoras de esquerda, especialmente pela capacidade de organização do PSOL e de sua militância.

IV. O governo Lula será um governo de disputas contínuas, seja pela forte presença da direita organizada no atual quadro conjuntural, bem como pelos grandes enrijecimento do próprio fundo público, mas será o principal polo político de combate aos fascismo, que se dará por um período prolongado no Brasil.

V. As tensões governamentais também se observam pelo esgarçamento institucional e desmonte do Estado, na forma do neoliberalismo e da perda dos direitos sociais.

VI. O governo Lula aglutinará os setores progressistas da sociedade, cabendo o isolamento e a desidratação aos que não se associarem ao campo progressista no combate à extrema direita.

VII. A tática do PSOL deverá caminhar em quatro frentes:

a) Pela pressão dos movimentos sociais e organização, estabelecendo nas ruas a correlação necessária para que o governo se desloque a esquerda, inclusive para que se construa a radicalidade democrática, assim como penalização dos crimes de bolsonaro e dos militares envolvidos no atual desgoverno.

b) Estabelecer uma agenda partidária que organize a sociedade e busque trabalhar a cultura popular e de defesa do Socialismo.

c) Aprofundar nossa capacidade de intervenção parlamentar, tornando nossos parlamentares capazes de expressar a frente mais avançada de defesa dos interesses do nosso povo.

d) Que o psol seja protagonista de políticas públicas do governo Lula que garantam direitos ao povo trabalhador, ampliando a capacidade de intervenção do partido na conjuntura e se constituindo como referência na esquerda.

Belém, cidade cabana.
Em 03 de dezembro 2022.

Deixe uma resposta