Passagem Camapu: “É uma vergonha que durante tanto tempo, a prefeitura tenha ficado sem fazer obras aqui”, diz secretária ao anunciar fim do alagamento

Há 12 anos, o técnico em refrigeração, Adauto Soeiro, não via a rua em que mora sem o alagamento permanente, que atormentava a vida de toda a comunidade. A água parada e que nunca secava era provocada por um problema na rede de drenagem da Passagem Camapu, no bairro do Jurunas, em Belém.

“Hoje, tá passando um filme na minha cabeça e o meu sentimento é de gratidão à Prefeitura, porque estamos vendo a nossa rua seca e já dá até para caminhar”, conta Adauto, satisfeito.

Serviço eficiente – Para drenar a água suja e persistente da passagem Camapu foi feita uma rede de drenagem de 112 metros, partindo da Avenida Bernardo Sayão até o lançamento no rio Guamá, pelo Porto Pindorama. O Canal da Bernardo Sayão foi dragado para a água aprisionada descer, sendo retirados 10 caminhões de resíduos aprisionados por mais de uma década.

Nesta quarta-feira, 1º de dezembro, no período da tarde, foi conectada a rede de lançamento de drenagem da passagem, com o lançamento no rio Guamá, fazendo com que toda a água aprisionada na rua, escorresse.

A rede de drenagem de lançamento é de 1.000 mm, o que permite todo o escoamento da água aprisionada.

Prazo – A obra da Camapu começou dia 08 de setembro e a empresa enfrentou dificuldades na execução dos serviços, por encontrar vigas de sustentação no porto, por isso foi necessário que escavação fosse feita de forma manual.

A obra de drenagem tem o valor de R$ 298.522,87 e foi licitada pela Secretaria Municipal de Sanemento (Sesan) na modalidade Carta Convite.

A secretária municipal de Saneamento, Ivanise Gasparim, visitou a obra, nesta quinta-feira, 2, e pode constatar o avanço dos serviços, que agora está na fase final.

“Não havia projeto para essa rua e nós trabalhamos para encontrar a solução. Quando a gente drenou a área, tiramos dez caminhões de lixo podre daqui. É uma vergonha que durante tanto tempo, a prefeitura tenha ficado sem fazer obras aqui”, disse a secretária.

“Nós já testamos a nova rede de drenagem e funcionanou normalmente. Acreditamos que a Passagem não voltará a encher nunca mais. Nos próximos dois meses estaremos finalizando a obra e vamos fazer uma limpeza geral na via para que ela fique trafegável de novo”, finalizou.

Com informações de Andrea Cunha – Agência Belém

Deixe uma resposta