População de Barcarena sofre com danos causados pelo descaso e negligência, denunciam parlamentares

Vila do Conde é tomada por fumaça branca após incêndio em galpão de mineradora, em Barcarena

Um depósito de produtos químicos da mineradora Imerys explodiu, na noite desta segunda-feira (6), em Vila do Conde, Barcarena, onde estaria armazenado o produto químico hidrossulfito de sódio.

“É o décimo(10) acidente em 25 anos envolvendo a empresa. Já mobilizei equipe da Comissão de DH e organizando diligência ao município!”, denunciou o deputado Carlos Bordalo, pelas redes sociais.

“A população não pode continuar sofrendo com os danos socioambientais causados pelo descaso e a negligência”, afirmou a deputada Marinor Brito, da tribuna da Assembleia Legislativa.

A mineradora francesa Imerys faz extração de caulim em Barcarena, e é acusada há vários anos pelos moradores da região por diversos crimes ambientais. Em 2007, um vazamento de caulim contaminou o Rio Capim, e os cursos de água que abastecem a região de Vila do Conde.

Desde 2002, ao menos 17 desastres foram cometidos no município envolvendo a norueguesa Norsk Hydro, a francesa Imerys, além da própria Vale. O município também foi atingido pelo vazamento de 700 toneladas do Navio Haidar, onde naufragaram 5 mil bois vivos contaminando não só Barcarena, mas também Abaetetuba, no nordeste do Pará.

Com informações do Brasil de Fato e G1/PA

Deixe uma resposta