Lote 96 em Anapu é novamente atacado por pistoleiros armados; Marinor cobra providências

Na noite desta quinta-feira (18), pistoleiros invadiram mais uma vez o lote 96 localizado em Anapu, e, desta vez, o alvo foi a escola Paulo Anacleto, que foi incendiada pelos criminosos. Além disso, os bandidos atiraram contra casas dos agricultores locais, que fugiram para a mata, para esconder-se.

Dentro do lote moram 54 famílias, que têm sido alvo constante de ataques do tipo. Há relatos, por parte dos trabalhadores do campo residentes no local, de ameaças de morte às lideranças e coação aos moradores, inclusive crianças.

A deputada Marinor Brito foi às redes sociais cobrar providências do governo do Estado. “Não podemos permitir que esse tipo de violência continue seguindo impune. É urgente que o Governo do Estado e a Segup ajam pra garantir a segurança dos moradores”, disse ela.

Há apenas três meses atrás, o mesmo lote foi alvo de outros dois incêndios provocados pelos criminosos. Eles invadiram a comunidade a tiros e atearam fogo à duas casas de famílias. A Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SDDH) chegou a encaminhar um pedido de proteção ao Lote 96, porém, nenhuma providência foi tomada e os ataques continuaram.

Conflito acirrado

A comunidade vem sofrendo com uma luta judicial acirrada, que resultou em atentado à vida dos assentados, que tiram seus sustentos destas terras. O Incra tinha cedido as terras do Lote 96 para criação do Assentamento Dorothy Stang, entretanto, voltou atrás na decisão por pressão dos grileiros. “É isso que acontece quando o Estado fica na mão de milícias, quando o presidente é um criminoso que estimula a destruição da floresta amazônica”, disse nas redes sociais a jornalista Eliane Brum.

Deixe uma resposta