Diplomação de Lula marca vitória da democracia no Brasil

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realiza nesta segunda-feira (12), a partir das 14h, a cerimônia de diplomação do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do vice, Geraldo Alckmin (PSB). O diploma garante, perante ao Congresso Nacional, que Lula e Alckmin estão habilitados a tomar posse e exercer o mandato determinado pelas eleições democráticas.

A cerimônia de diplomação de Lula, a terceira como presidente, representa a concretização de uma vitória política histórica para o líder da esquerda brasileira, que foi vítima de perseguição política e passou 580 dias preso, sendo impedido de disputar as eleições de 2018 contra Jair Bolsonaro.

O evento deve contar ainda com 280 convidados, além de ministros do TSE e do Supremo Tribunal Federal (STF), parlamentares, governadores e futuros integrantes do governo Lula. Familiares dos dois eleitos também estarão presentes.

Lula será o primeiro a discursar. Depois do presidente eleito, a palavra será do presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, segundo as regras do cerimonial do TSE, A previsão é que a cerimônia tenha duração de pouco mais de uma hora.

Dias antes da diplomação, Lula anunciou os primeiros cinco ministros do novo governo. Para o Ministério da Defesa, José Múcio Monteiro; na Fazenda, Fernando Haddad (PT); para a pasta da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB); no Ministério das Relações Exteriores, Mauro Vieira; e na Casa Civil, Rui Costa (PT).

O próprio presidente eleito havia dito que só iria divulgar nomes após a diplomação. Mas as pastas escolhidas para antecipação são estratégicas e mandam mensagens importantes sobre como as áreas de mercado, Forças Armadas, segurança e articulação política serão lideradas.

Com informações do Brasil 247

Deixe uma resposta