Mães e pais conversam sobre distribuição de kits da merenda com direção da Escola Bosque

A direção da Escola Bosque recebeu, na manhã desta segunda-feira (19), um grupo de mães e pais que se reuniram em frente a escola para reivindicar os kits de alimentação e os chips para acesso à internet e acompanhamento das aulas.

A Escola Bosque foi usada, durante os últimos anos, como um verdadeiro cabide de empregos para apoiadores da antiga gestão. Era usada, inclusive, para reuniões políticas de apoiadores do PSDB/Zenaldo. A lembrança da antiga gestão não é nada boa: autoritarismo e assédio, aos servidores da Funbosque, mães e pais de alunos, com a transferência de pessoas para locais e horários absurdos, visando punir e perseguir os professores, abertura, de forma indiscriminada, de diversos processos administrativos disciplinares (PADs) com falsas acusações aos professores concursados, além da tentativa de pôr fim ao ensino médio na Funbosque, demolição dos laboratórios de química e biologia durante o recesso escolar, entre outras violências, marcaram a gestão da ex-diretora, Beatriz Padovani.

O tratamento adotado pela atual gestão surpreendeu as famílias presentes. “Agradeço ao presidente, a toda a equipe, a coordenação, que forma de uma paciência de uma tolerância, de uma educação e que agora eu vejo que a gente pode ter uma linha direta com a coordenação. Que o que a gente quer é a melhoria em prol da Escola Bosque, dos nossos filhos, e isso é muito importante pra nós, pra gente se orgulhar da Escola Bosque, e não do jeito que estava”, afirmou uma mãe, que estava presente nesta manhã, em áudio do whatsapp.

Em nota, “O gestor da Funbosque informou que os kits de merenda escolar, da categoria perecíveis, chegaram no início da manhã desta segunda-feira, 19. A presidente da Fmae destacou que o distrito de Outeiro foi a primeira localidade a receber os kits, explicando que no decorrer desta semana chegam os alimentos perecíveis, completando dessa forma o kit, com previsão de iniciar a distribuição na quinta-feira, 22.

A respeito dos chips, o gestor informou que o processo exige uma tramitação, determinada em lei, que estabelece licitação, e que precisa seguir etapas desta tramitação para viabilizar a compra destes produtos.”

Deixe uma resposta