Mosqueiro reforça ações conjuntas de limpeza e educação ambiental para combater descarte irregular de lixo

Homens com ajuda de trator continuam trabalhando na ilha de Mosqueiro. Nesta segunda-feira, 27, a chuva deu uma trégua e a temperatura subiu com sol forte, facilitando os trabalhos (Ascom/ ADMOS/ PMB)

É constitucional o dever da sociedade nas ações que visam ao chamado meio ambiente sustentável. O alerta é do sociólogo Alberto Teixeira, um dos instrutores do curso de capacitação em educação ambiental iniciado, nesta segunda-feira, 27, na sede da Agência Distrital de Mosqueiro. O curso é mais uma medida adotada pela Prefeitura de Belém, em parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), no ciclo educativo para mudança de hábito social e combate ao descarte irregular de lixo nas ruas e praias do distrito.

Na outra ponta, a oficial, homens e máquinas atuam diariamente coletando entulho, lixo domiciliar e operando em obras e serviços que visam a livrar Mosqueiro dos riscos provocados pelos fenômenos naturais de marés altas, que marcam o período do chamado inverno amazônico.

Segundo Fernanda Cunha, bióloga da Semas, os recursos naturais são finitos e já passou da hora de a sociedade entender e colaborar com ações que reduzam os impactos causados pela poluição de rios, praias, igarapés e muitos outros ambientes de usufruto comum.

“Mosqueiro é um lugar especial e as pessoas precisam cuidar desse espaço com mais zelo, fazendo uso da coleta seletiva, reaproveitamento de resíduos e transformando muitos desses materiais em fonte de renda”, ensinou Fernanda. “Cada pessoa precisa fazer a sua parte, a mudança climática já uma realidade e nós precisamos nos relacionar com a natureza de forma mais sustentável. É um desafio que precisamos enfrentar conjuntamente”.

Formação de uma turma especial

O curso de capacitação em educação ambiental formará uma turma especial de moradores de Mosqueiro, que após as aulas vão poder estender o conhecimento à comunidade. A ideia é formar agentes multiplicadores com aulas teóricas como a do sociólogo Alberto Teixeira e também de dinâmicas, comandadas pela engenheira florestal Andreeza Pamplona. “Vamos mostrar ações práticas, como fabricar sabão com óleo reciclado de cozinha e peças de artesanatos em papelão, plástico, metais e outros materiais não orgânicos que, na maioria das vezes, vão parar no lixo contaminando o meio ambiente”, explicou Andreeza.

Comunidade

Para quem está vivenciando a experiência do curso, o momento é mesmo de reflexão sobre o futuro e questionar a vizinhança sobre os riscos que o meio ambiente de Mosqueiro corre com o descarte irregular de lixo, desmatamento desordenado e falta de educação em jogar lixo e entulhos na rua. “A gente sabe que o caminhão do lixo faz a coleta regularmente, mas têm pessoas que não respeitam e jogam o lixo na rua”, contou a dona de casa Janice Azevedo, moradora do bairro da Vila.

“O lixo na rua em Mosqueiro é um problema sério porque ninguém quer respeitar os dias da coleta, por isso esse curso é importante para nós que queremos ajudar com essa mudança de comportamento”, destacou Cida Coimbra, também moradora do bairro do Chapéu Virado.

“Eu adorei a iniciativa da Prefeitura de Belém e da Agência Distrital em trazer esse curso pra nossa comunidade”, disse Rita de Cássia Miranda, moradora do bairro da Vila.

O curso é parceria entre Prefeitura de Governo do Estado e vai até o dia 30 deste mês, na sede da Agência Distrital de Mosqueiro.

Praias

Da sala de aula às praias e ruas de Mosqueiro, o cuidado com o meio ambiente vem avançando neste primeiro trimestre do ano com uso de tratores e caçambas.

Segundo Vanessa Egla, agente distrital, as ações de limpeza são contínuas com serviços de roçagem, varrição, terraplenagem e coleta de entulhos.

“Estamos trabalhando até aos domingos com operações que a visam prevenir alagamentos e doenças e pedimos aos moradores, turistas e visitantes que não joguem lixo nas ruas, e colaborem com a força-tarefa, pois todo mundo só tem a ganhar com um lugar mais limpo e bonito pra viver, passear e trabalhar”, destacou Vanessa.

Uma das frentes de limpeza é a operação “Linha D’água”. Nesta segunda-feira, 27, a frente de serviço esteve nas praias do Farol e do Chapéu Virado cobrindo uma extensão de 1,5 km de faixa de areia. Segundo João Albernaz, diretor operacional da Admos, a operação tem recolhido toneladas de lixo arrastado pelas marés. O trabalho deve continuar até o mês de abril, quando ainda serão registradas marés com altura acima de três metros, de acordo com a Defesa Civil do Município de Belém.

Texto: Selma Amaral, via Agência Belém

Deixe uma resposta