Afastado da PF, Eguchi exclui a palavra “corrupção” de suas publicações

Eguchi segue na corda bamba, pois o rol de denúncias contra ele são de extrema gravidade.

O delegado afastado da Polícia Federal, Everaldo Eguchi, retirou do seu vocabulário a palavra “corrupção” ou qualquer expressão relacionada ao bordão usado à exaustão durante sua campanha eleitoral.

Segundo um observador atento, o sumiço da palavra vem ocorrendo desde a “Operação Mapinguari”, deflagrada pela Polícia Federal no dia 14 de julho, quando Eguchi foi afastado do cargo de delegado em função das investigações por vazamento de informações da própria PF, sobre supostos crimes de violação de sigilo funcional, corrupção passiva, corrupção ativa e associação criminosa, os quais estaria envolvido.

De acordo com a PF, a investigação teve início de 2018 e trata de informações vazadas da Operação Migrador – apuração conduzida à época pela Delegacia de Polícia Federal de Marabá.

Pesa ainda contra o delegado afastado, a dinheirama de mais de R$ 600 mil encontrada em sua casa, durante operação.

Barba de molho – Juristas que acompanham o processo dizem que Eguchi segue na corda bamba, pois o rol de denúncias contra ele são de extrema gravidade, e dificilmente escapará de condenações.

Deixe uma resposta